quarta-feira, 5 de Novembro de 2008

Doença de Fabry

As doenças metabólicas resultam de erros inatos do metabolismo e são estudadas por uma área específica da genética, a bioquímica genética. Estas resultam da falta de actividade de uma ou mais enzimas específicas ou de algum defeito no transporte de proteínas.


A Doença de Fabry é uma das muitas doenças metabólicas, que se caracteriza como sendo uma doença hereditária, provocada por uma anomalia genética. Esta afecta cerca de uma em cada 40.000 pessoas.

Os primeiros pacientes com esta doença foram descritos em 1898 pelos dermatologistas alemão Johannes Fabry e inglês William Anderson, de forma independente.

Alguns serviços clínicos têm verificado que esta doença tem sido diagnosticada com mais frequência na população, o que a inicio pode parecer negativo revela contudo um lado positivo: havendo uma maior prevalência da doença pode ser possível tratar-se de uma doença subdiagnosticada.Por se tratar de um distúrbio raro tem-se pouco conhecimento sobre as manifestações e evolução clínica. Os casos não diagnosticados, ou tardiamente diagnosticados, acarretam uma condução clínica errada com uma evolução que pode ser mesmo fatal.




Origem da Doença


O nosso corpo é constituído por milhões de células que se multiplicam, vivem e morrem, sendo destruídas e os componentes reutilizados pelo organismo. É nesta reciclagem que se encontra o problema que causa os sintomas da Doença de Fabry.

Quando uma célula é destruída, os seus componentes são fagocitados por outras células, os macrófagos, nos quais o material da célula morte permanece dentro de lisossomas, onde se encontram enzimas capazes de digerir os restos celulares, transformando substâncias grandes em mais pequenas, que podem ser reutilizadas. Estas enzimas são produzidas na própria célula e, se uma pessoa sofreu uma alteração genética, diz-se que ocorreu uma mutação, ficando a enzima alterada.

Esta doença é causada por um gene deficiente do organismo e, por causa desse erro uma enzima essencial é produzida em quantidades insuficientes ou possui uma estrutura que não funciona adequadamente. Sem esta enzima, determinadas substancias que deviam ser removidas do organismo permanecem nas células, dando-se uma acumulação de material, designado GL-3, sendo esta acumulação progressiva que causa a maioria dos problemas que aparecem aos pacientes.

A Doença de Fabry estabelece-se porque o corpo do paciente não é capaz de produzir uma enzima, denominada alfa-galactosidase (ou alfa-GAL), em quantidade ou estrutura adequada para realizar a sua função.




Contracção da Doença


A Doença de Fabry é uma alteração hereditária. É uma herança recessiva ligada ao cromossoma X, isto é, o gene deficiente encontra-se no cromossoma X.

Cada indivíduo herda um cromossoma X da nossa mãe e um cromossoma X ou Y do nosso pai, sendo que, se o indivíduo herdar o cromossoma X do pai pertence ao sexo feminino (XX) e se herdar o cromossoma Y pertence ao masculino (XY). Dado que o gene deficiente se encontra localizado no cromossoma X, tanto homens como mulheres podem possuir esse gene. Assim, como os homens só têm um gene deficiente irão transmitir o gene às filhas, mas não aos filhos, e as mulheres, dado que possuem um gene normal e um deficiente têm, em cada gravidez, 50% de probabilidade de transmitir esse gene, quer aos filhos quer às filhas.

Com a ajuda de um geneticista pode-se realizar um mapeamento do padrão de hereditariedade da família, através de um heredograma (árvore genealógica).

Esta doença pode afectar qualquer pessoa que herde o gene deficiente, ou seja, indivíduos do sexo masculino ou feminino, de qualquer etnia, filho de pai doente ou de mãe portadora do gene deficiente.A maneira como a doença se manifesta varia um pouco consoante o sexo do indivíduo; as mulheres que possuem um gene normal e um gene deficiente podem apresentar qualquer nível de actividade da enzima logo, podem não ter sintomas, ou então ter sintomas leves ou graves; os homens têm sempre uma actividade baixa, pelo que apresentam mais sintomas que as mulheres.




Sintomas


As manifestações clínicas começam, geralmente, na infância – entre os 6 e 9 anos de idade – mas dá-se um agravamento dos sintomas ao longo da vida do paciente. Em geral, as primeiras manifestações são dores incómodas nas mãos e nos pés e uma disfunção renal.

Os médicos conseguem tratar alguns dos sintomas, mas estes tratamentos não são dirigidos para a principal causa da doença, que é a falta da enzima e o depósito de GL-3 que resulta disso.Os sintomas da Doença de Fabry são acroparestesia (dor ardente que afecta as mãos e os pés, acompanhada de formigueiro), angioceratoma, disfunção renal, diminuição da capacidade de transpirar, erupção cutânea ou alteração da pele, alteração ocular, prolapso da válvula mitral, problemas gastrointestinais, prejuízo ou dano de órgãos e sistemas importantes, problemas renais, cardíacos, do sistema cerebrovascular e do sistema nervoso central, para além de factores emocionais como depressões, alienações e negação dos próprios sintomas.




Prevenção e Tratamentos

A Doença de Fabry ainda é incurável, contudo os investigadores estão a estudar um tratamento em que a enzima deficiente seja substituída por meio de transfusão, tratando-se assim de uma terapia de reposição enzimática.

6 comentários:

maria christhiany disse...

Eu tenho esse problema desde que nasci.Muitas pessoas perguntam se isso e contagioso,eu falo q\nao.graças a deus eu açeito esse problema e ninquem q\tem deve ter vergonha dele porque e uma coisa normal apesar de ninguem pensar assim.eu buscu muitas forças em deus e Nossa Senhora por que ewu sei q\eles me dao mita força.quem quiaer me conhecer meu site e maysacristiane@gmail.com.senha nazare tocantins.o meu dermatologista e Dr EDVALDO DE FREITAS DE CAMPINAS SP.

Pergunte já disse...

Gostei do blog, pena que tem pouca atualização. Sou fã da série House e estou sempre lendo sobre doenças e tratamentos...

Ministério da Saúde disse...

Olá, blogueiro, olá blogueira!
O Ministério da Saúde desenvolveu um pacote de incentivo para que médicos recém-formados conheçam os benefícios de trabalhar no interior do Brasil. Para saber mais informações, acesse: www.medicospertodevoce.com.br. No site, você pode assistir a “TV Médico no Interior”, que contém depoimentos de médicos que construíram carreia sólida no interior do país. Também no site, você tem acesso ao Mapa das Oportunidades, um ambiente criado para apresentar os locais em que há necessidade de novos médicos, a média salarial por região e todos os contatos para que você se informe mais sobre o assunto. O Ministério da Saúde desenvolveu também o Tele-Saúde que nada mais é, do que um apoio técnico para que vocês médicos, atendam os pacientes da melhor forma possível.
Faça parte dessa campanha. Ajude a melhorar a qualidade de vida de todo o Brasil. Nós precisamos de você. O futuro do país está em suas mãos.
Caso tenha interesse em colocar algum material da campanha em seu blog, entre em contato com a nossa equipe pelo e-mail comunicacao@saude.gov.br
Obrigado,
Ministério da Saúde
Faça contato conosco!

Sara disse...

Para qualquer doença deve estar em contato com o nosso médico, porque sem eles não pode obter o diagnóstico da doença ou que estamos tentando então eu acho que nós temos que ter uma boa cobertura por organizações como bradesco saúde

Sara disse...

É muito difícil viver cada dia com uma doença é que devemos sempre estar atentos a quaisquer sintomas e consultar nossos médicos, para nos fazer qualquer estudo como densitometria óssea ou de outros mais.

pbodiao disse...

ola eu venh de saber hoje que sou portadora desa doenca nos somos 5 irmao mas so as tres raparigas sao portadoras, minha irma ja leva a enzima ,e nos so sbmos hoje eu ja tenho problemas de saude ,espero agora tentar ter uma mellor solucao ,gostaria de saber mais sobre esa doenca.